Todos os homens são idólatras, uns da honra, outros do interesse e a maior parte do prazer.


todos-os-homens-são-idólatras-uns-da-honra-outros-do-interesse-e-a-maior-parte-do-prazer
baltasar gracián y moralestodososhomenssãoidólatrasunsdahonraoutrosdointeressemaiorparteprazertodos osos homenshomens sãosão idólatrasuns dada honraoutros dodo interesseinteresse eparte dodo prazertodos os homensos homens sãohomens são idólatrasuns da honraoutros do interessedo interesse ee a maiora maior partemaior parte doparte do prazertodos os homens sãoos homens são idólatrasoutros do interesse einteresse e a maiore a maior partea maior parte domaior parte do prazertodos os homens são idólatrasdo interesse e a maiorinteresse e a maior partee a maior parte doa maior parte do prazer

Todos os homens são passíveis de errar; e a maior parte deles é, em muitos aspectos, por paixão ou interesse tentada a fazê-lo.O maior problema do mundo atual é a intolerãncia. Todos são tão intolerantes uns com os outrosOs políticos, em lugar de se ajudarem entre si e uns aos outros nesta tarefa difícil que é administrarem um país, em que se tem ao mesmo tempo que olhar o presente com todo o cuidado objectivo, e ter a maior confiança no que se pode concretizar de futuro, em lugar de os políticos se ajudarem uns aos outros, se auxiliarem, a realmente levar essa tarefa por diante, tantas vezes se entretêm, em todos os países, a lutar uns com os outros, a desacreditarem-se uns aos outros, como se isso pudesse fazer avançar seja o que for.Alguns sonhos são belos, outros poéticos; uns realizáveis, outros difíceis de serem concretizados; uns envolvem uma pessoa, outros, a sociedade; uns possuem rotas claras, outros, curvas imprevisíveis...A ganância do ter não só engoliu o ser e a convivência pacífica, mas até privou a maior parte dos homens do ter indispensável, para acumular nas mãos de uns poucos o que a todos pertence.Procura considerares-te inexistente e assim, ao contrário do que pensava Nietzsche, nunca serás, com teu interesse e serviço dos outros, um desprezador tirano de ti próprio. Procura realizar-te nos outros, em todos os outros, e só assim serás totalmente vário, como deves, em honra do Espírito que em ti habita.