O próprio do prazer é não poder ser dito.


o-próprio-do-prazer-é-não-poder-ser-dito
ana hatherlyprópriodoprazernãopoderserditoo própriopróprio dodo prazerprazer éé nãonão poderpoder serser ditoo próprio dopróprio do prazerdo prazer éprazer é nãoé não podernão poder serpoder ser ditoo próprio do prazerpróprio do prazer édo prazer é nãoprazer é não poderé não poder sernão poder ser ditoo próprio do prazer épróprio do prazer é nãodo prazer é não poderprazer é não poder seré não poder ser dito

O poder de recolher e desembolsar dinheiro no prazer é o poder mais perigoso que pode ser confiado ao homem.O que é bom? Tudo o que aumenta a sensação de poder, a vontade de poder, o próprio poder no homem.O poder não corrompe o homem; é o homem que corrompe o poder. O homem é o grande poluidor, da natureza, do próprio homem, do poder. Se o poder fosse corruptor, seria maldito e proscrito, o que acarretaria a anarquia.A maior forma de poder é o poder de controlar o próprio não é auto o poder de controlar os outros.Não é o próprio poder, mas a legitimação do desejo de poder, que corrompe absolutamenteSe o dinheiro não seja o teu servo, será teu senhor. O avarento não pode por isso ser propriamente dito possuir riqueza, que isso possa ser dito para possuí-lo.