Nossa imperfeição é o que nos faz perfeito em nossos próprios caminhos e é o que nos torna diferente e especial dos outros.


nossa-imperfeição-é-o-nos-faz-perfeito-em-nossos-próprios-caminhos-e-é-o-nos-torna-diferente-e-especial-outros
tarek solomannossaimperfeiãonosfazperfeitoemnossospróprioscaminhostornadiferenteespecialoutrosnossa imperfeiçãoimperfeição éque nosnos fazfaz perfeitoperfeito emem nossosnossos própriospróprios caminhoscaminhos eque nosnos tornatorna diferentediferente ee especialespecial dosdos outrosnossa imperfeição éimperfeição é oo que nosque nos faznos faz perfeitofaz perfeito emperfeito em nossosem nossos própriosnossos próprios caminhospróprios caminhos ecaminhos e éo que nosque nos tornanos torna diferentetorna diferente ediferente e especiale especial dosespecial dos outrosnossa imperfeição é oimperfeição é o queé o que noso que nos fazque nos faz perfeitonos faz perfeito emfaz perfeito em nossosperfeito em nossos própriosem nossos próprios caminhosnossos próprios caminhos epróprios caminhos e écaminhos e é oé o que noso que nos tornaque nos torna diferentenos torna diferente etorna diferente e especialdiferente e especial dose especial dos outrosnossa imperfeição é o queimperfeição é o que nosé o que nos fazo que nos faz perfeitoque nos faz perfeito emnos faz perfeito em nossosfaz perfeito em nossos própriosperfeito em nossos próprios caminhosem nossos próprios caminhos enossos próprios caminhos e épróprios caminhos e é ocaminhos e é o quee é o que nosé o que nos tornao que nos torna diferenteque nos torna diferente enos torna diferente e especialtorna diferente e especial dosdiferente e especial dos outros

Não são os erros dos outros, mas nossos próprios erros de cálculo, em que nos causam a nossa vingança duradoura. É-nos que não podemos perdoar.Tenho escrito repetidamente que o nosso maior inimigo somos nós mesmos. O adversário do nosso progresso está dentro de cada um de nós, mora na nossa atitude, vive no nosso pensamento. A tentação de culpar os outros em nada nos ajuda. Só avançamos se formos capazes de olhar para dentro e de encontrar em nós as causas dos nossos próprios desaires.A maior parte da nossa confiança nos outros é frequentes vezes constituída de preguiça, egoísmo e vaidade: preguiça quando, para não investigar, vigiar e agir, preferimos confiar em outrem; egoísmo quando a necessidade de falar dos nossos negócios nos leva a confidenciar-lhes algo; vaidade quando uma coisa nos torna orgulhosos. No entanto, exigimos que se honre a nossa confiança.Se os nossos sentidos fossem perfeitos, não precisávamos de inteligência; nem as ideias abstractas de nada nos serviriam. A imperfeição dos nossos sentidos faz com que não concordemos em absoluto sob...O contentamento vem quando nós queremos a Vontade de Deus mais do que nossos próprios caminhos.Nossa vida é um sonho, mas um sonho realista; ã s vezes nossos sonhos nos dá o que a realidade nos nega, e ã s vezes nossos sonhos nos move o necessário para os caminhos e decisãµes que devemos tomar na vida.