Hoje quer-se fazer a globalização, mas de quê? Fazer tudo por igual? Juntar tudo: um só rei, um só Papa, como nas palavras do Padre António Vieira. Há esse desejo utópico. Mas é difícil chegar lá. Perdem-se pelo caminho, tem-se hesitações e há um retorno à Idade Média, em inverso. Agora são os árabes a quererem destruir o mundo ocidental.


hoje-quer-se-fazer-a-globalização-mas-de-quê-fazer-tudo-por-igual-juntar-tudo-um-só-rei-um-só-papa-como-nas-palavras-do-padre-antónio-vieira
manoel de oliveirahojequersefazerglobalizaãomasdequêfazertudoporigualjuntartudoumreipapacomonaspalavrasdopadreantóniovieirahessedesejoutópicomasdifícilchegarlperdemsepelocaminhotemsehesitaõeshretornoidademédiaeminversoagorasãoosrabesquereremdestruirmundoocidentalmas dede quêfazer tudotudo porjuntar tudoum sósó reium sósó papacomo nasnas palavraspalavras dodo padrepadre antónioantónio vieirahá esseesse desejodesejo utópicomas éé difícildifícil chegarchegar lápelo caminhohesitações ehá umum retornoretorno àà idadeidade médiaem inversoagora sãosão osos árabesquererem destruirdestruir oo mundomundo ocidentalfazer a globalizaçãomas de quêfazer tudo portudo por igualum só reium só papacomo nas palavrasnas palavras dopalavras do padredo padre antóniopadre antónio vieirahá esse desejoesse desejo utópicomas é difícilé difícil chegardifícil chegar láhesitações e háe há umhá um retornoum retorno àretorno à idadeà idade médiaagora são ossão os árabesárabes a quererema quererem destruirquererem destruir odestruir o mundoo mundo ocidental

Os meus escritores de referência são Montaigne, Cervantes, o padre António Vieira, Gogol e Kafka. O padre António Vieira era um jesuíta do século XVII. Nunca se escreveu na língua portuguesa com tanta beleza como ele o fez.Eu trabalhava como atriz e agora trabalho como repórter. Fui pra Brasília porque eu queria ir pra Brasília, porque eu gosto e me interesso muito por política. Com esse aprendizado, tudo novo, você fica sem saber o que fazer, pra onde olhar. Mas agora está tudo se acertando.A inacção consola de tudo. Não agir dá-nos tudo. Imaginar é tudo, desde que não tenda para agir. Ninguém pode ser rei do mundo senão em sonho. E cada um de nós, se deveras se conhece, quer ser rei do...É difícil saber o que conta no mundo. A maioria de nós conta créditos, honra, doláres. Mas no saliente centro da meia-idade, estou começando a ver que as coisas que realmente importam acontecem não nas salas de reuniãµes, mas nas cozinhas do mundo.Ninguém quer ter uma vida comum, ninguém quer que se leia no seu obituário: nasceu, viveu, trabalhou, procriou e morreu. Por isso as pessoas não hesitam em fazer tudo o que podem para chamar a atenção, coisas absurdas, complicadas, trabalhosas, coisas que se negariam a fazer se lhes fossem impostas por um contrato laboral. É assim desde que o mundo é mundo.A vida nunca é um caminho fácil. Mas rotas alternativas estão sempre disponíveis quando você sente que está perdido. Tudo que você tem a fazer é escolher o caminho certo.